Bauru se encontra em estado de emergência desde o último dia 20, a proibição da abertura dos estabelecimentos pela prefeitura foi feita a fim de evitar a disseminação do vírus, logo, lojas com acesso direto ao público e que possam gerar aglomeração permanecem fechadas até o dia 7 de abril.

            No entanto, alguns empresários bauruenses manifestaram a medida estabelecida na tarde de sexta-feira (27).  O prefeito reforçou que manterá a restrição estabelecida pelo governo estadual, mas analisará as propostas junto ao Comitê de Enfrentamento à Covid-19.

            O grupo de manifestantes se concentrou no Parque Vitória Régia e de lá seguiu pela Avenida Nações Unidas, rumo à Ceagesp. Transitando pela Rua Gustavo Maciel, Primeiro de Agosto e Rio Branco, o destino final o Palácio das Cerejeiras.

Grupo de empresários em frente a Praça Cerejeiras. Foto: Vinicius Bomfim

            No mesmo dia, um grupo de empresários se reuniu com vereadores no Aeroclube de Bauru. Após a reunião os parlamentares encaminharam as reinvindicações – que consistem na retomada do comércio com limitações – ao prefeito.

Durante o encontro os empresários cobraram as restrições do número de pessoas nos supermercados e a falta de padronização por parte de fiscais.

            O Sincomércio em videoconferência com o prefeito Clodoaldo Gazzetta na última sexta-feira (27) decidiu em unanimidade a defesa da reabertura dos estabelecimentos a partir do dia 1. Enfatizando o apoio às medidas de saúde, o sindicato defende a ação com as orientações de redução do atendimento para 50% e distância de 1,5 metro entre as pessoas.

            A videoconferência também contou com participação de representantes da Acib, CDL e Fiesp. Durante a reunião, cada um deles apresentou suas situações atuais e expôs preocupações. Ainda assim é reforçado que as medidas de contenção permaneçam até dia 7 e antecipações de abertura ocorrem somente com origem de esferas superiores.