No dia 13 de março tem início a exposição “Dinda, uma representante da Arte Naïf brasileira em Bauru”. A partir das 20h será possível conhecer alguns dos trabalhos da artista plástica Myriam Therezinha Vanzella Sanson, que estará presente na abertura, assim como a Companhia Estável de Dança para apresentação de uma coreografia.

Graças ao projeto aprovado pelo Programa de Estímulo à Cultura de Bauru (PEC – Edital 2018), foi possível realizar a exposição que através da verba, proporcionou a restauração e conservação de 41 telas da artista. O projeto teve patrocínio da Secretaria de Cultura e foi responsável por reforçar as bordas, higienização e emolduração das obras.

Uma parte do acervo de Dinda será doado à própria Pinacoteca, além de continuar disponível para visitação e estudo para aqueles que desejarem saber mais sobre arte naïf e sua representação na cidade de Bauru.

                As obras estarão em exposição na Pinacoteca Municipal. Foto: Prefeitura Municipal de Bauru

Cleide Biancardi, graduada em desenho e educação artística pela Fundação Educacional de Bauru, além de seu mestrado e doutorado em artes pela ECA – USP e pós-doutorado em Portugal será a curadora da exposição que estará em exibição até o dia 05 de junho. Os grupos agendados ainda contarão com monitoria.

A sugestão do projeto foi do psicólogo Eric Max Hess, que apesar da formação, trabalha com restauração, conservação, organização de ateliês e monitorias em ações educativas. A exposição também contará com a oficina de restauração de arte naïf e uma palestra sobre monitoria de exposições.

Durante a abertura a Companhia Estável de Dança de Bauru apresentará a coreografia “Sertaneja”, que representa a vida do homem no campo e é inspirada nas obras da artista e criada para o grupo Imagem de Bauru por Yola Guimarães em 1985.

A Arte Naïff tem como tema imagens rurais, cotidianas, manifestações populares e religiosas que baseiam-se na individualidade e espontaneidade. O Brasil na década de 50 ganhou representantes desse estilo com Chico da Silva e Heitor dos Prazeres.

Myrian Therezinha Vanzella Sanson, carinhosamente conhecida como Dinda nasceu em Guarantã, mas foi em Bauru que se tornou uma das pioneiras na arte naïff. Suas primeiras exposições foram no início da década de 80. Desde então a artista já expôs em todo Brasil além de galerias na França, Portugal e Estados Unidos, Japão e Itália.

SERVIÇO

Exposição “Dinda, uma representante da Arte Naïf brasileira em Bauru”

Abertura: 13 de março, às 20h

Período: 16 de março a 05 de junho (segunda a sexta, das 9h às 17h30)

Local: Pinacoteca Municipal/Casa Ponce Paz. Rua Antônio Alves, 9-10, Centro

Entrada gratuita

Agendamento: (14) 3232-1552.