A demora do recebimento dos resultados de exames dificulta planejamento de novas estratégias para contenção do vírus. Foto: Designed by Freepik

Bauru registrou na última sexta-feira (27), um aumento de 21% nos casos suspeitos e as mortes em investigação já chegam a seis pessoas. Os registros ainda aguardam resultados do Instituto Adolfo Lutz.

O número foi de 86 registros para 104, assim como o número de mortes em investigação que foi de quatro para seis. Fator esse que contribui negativamente para a tensão vivida pelo poder público e pela população. A prefeitura informou o uso de medidas para combater o alastramento da doença e reforçou ainda a importância do isolamento social.

Ambas as mortes, acometidas por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) foram registradas em hospitais particulares da cidade no mesmo dia. As mortes suspeitas são de um homem de 76 anos e uma mulher de 36 anos.

A demora na emissão dos resultados dos casos suspeitos tem dificultado a definição do planejamento de estratégias nas cidades da região. A FOB-USP colabora participando no processo de aceleração dos exames para coronavírus em parceria com o Instituo Butantan.

 Em meio a crise pandêmica, Bauru distribuirá 9.137 kits de alimentação para famílias cadastradas no Bolsa Família. Os produtos teriam a merenda escolar como destino, no entanto servirão como apoio do período de quarentena para famílias necessitadas. Cestas básicas também serão montadas através de doações na campanha CoronaVida.

O município também presenciou quatro outras mortes suspeitas essa semana nos seguintes locais: Hospital da Unimed, UPA Geisel, Hospital Beneficência Portuguesa e Hospital Estadual. Os pacientes faleceram em decorrência de SRAG e possuíam 87, 86, 89 e 77 anos.